25 setembro, 2010

Domínio próprio - vivenciando sua presença.

O domínio próprio é essencial para o desenvolvimento pessoal, para o crescimento espiritual e para o serviço cristão. Entretanto, ele "acontece simplesmente" nem aparece como uma característica natural. As pessoas devem praticar o domínio próprio a fim de viver uma vida disciplinada. Para a mulher cristã, o poder ilimitado de Deus pode ser adicionado ao limitado poder de vontade e, assim, desenvolver a disciplina divina, que demanda uma ação pessoal para receber o poder do Espírito Santo.
Os cristãos precisam aprender a disciplinar os comportamentos externos e os sentimentos internos para se tornarem santos. Palavras e ações bem como pensamentos e paixões devem ser agradáveis diante de Deus (Sl 14.19). Uma vida disciplinada envolve um compromisso genuíno e pessoal do obedecer aos estatutos de Deus e, freqüentemente, isso requer, mudança de vida. O poder sobrenatural de Deus é adicionado a força de vontade pessoal, à medida que os cristão vivenciam sua presença, recebem seu poder e procuram sua alegria.
A aceitação, afirmação e responsabilidade por outras pessoas também ajudam o cristão a desenvolver o domínio próprio. A disciplina divina deveria ser parte do crescimento espiritual de todo cristão. A escolha pessoal de tornar-se disciplinado pode efetuar mudanças nos outros também.
A bíblia ensina que o domínio próprio é fruto do Espírito Santo (Gl 5.22). sem domínio próprio o cristão tem poucas oportunidades de vivenciar completamente as bençãos de Deus.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

  • Bem vindos!

    Minha foto
    "Se da graça e da misericordia de Deus eu viver consciente, se nelas eu crescer e se for grata por elas, minha vida glorificará ao Senhor!"

    "Era a terra sem forma e vazia; trevas cobriam a face do abismo, e o Espírito de Deus se movia sobre a face das águas." Gn 1. 1

    "Saberás que EU sou o SENHOR e que os que esperam em mim não serão envergonhados" Is 49.23b

    Eis que Deus não rejeita ao íntegro, nem toma pela mão os malfeitores. [Jó, 8:20 ]